Parte 1/3 – Learn: Desvendando o poderoso Kubernetes – nodes, containers e clusters

Learn: Desvendando o poderoso Kubernetes – nodes, containers e clusters

Se você costuma ler conteúdos sobre Cloud Computing, já deve ter esbarrado na palavra Kubernetes. Nesse artigo, vamos falar um pouco sobre Kubernetes, esse sistema fantástico de gerenciamento, desde a sua criação até a sua importância.


Vamos iniciar falando do logotipo:

Um leme de navio, isso mesmo. Kubernetes se origina da palavra grega “Kuvernetes” que representa a pessoa que comanda o navio mas, para os mais íntimos, “K8s” também serve. Como podemos ver na imagem ao lado, são 7 raios que fazem referência ao nome original do projeto: “Project Seven of Nine” (Projeto Sete de Nove). Sim, é isso mesmo, eles fizeram uma homenagem a Borg de Star Trek Voyager

História do Kubernetes. Como tudo começou:

O Kubernetes foi criado pela Google, uma das maiores empresas no desenvolvimento de tecnologia para containers. A própria empresa afirma que utiliza os contêineres para rodar alguns de seus serviços como o Google Docs e o Gmail.

Depois de um tempo, a Google doou o Kubernetes que se tornou um serviço Open Source (código aberto).

Mas, até agora usamos muito essa palavra “Containers” e afinal, o que eles são?

Afinal, o que são Containers?

Sim, como containers de navio eles isolam. No caso, dados de um SO (Sistema Operacional) dentro de um único hospedeiro. Serve para quando você quer executar várias instâncias dentro de uma única VM.

Como os Containers podem ser executados?

Você pode executar aplicativos isoladamente em um único host de VM já que ele agrupa também suas dependências. Como os containers são protegidos e isolados você não precisa separar VMs para cada aplicativo.

Quais são as utilidades dos Containers?

Isso se dá pois é implantado como uma unidade de host de container, oferecendo assim, um tempo de execução igual tirando os requisitos de infraestrutura e de SO.

São usados na maioria das vezes em soluções que utilizam microsserviços (divide os serviços em partes menores e independentes. Mas falaremos mais sobre isso em um próximo artigo)

Para resumir, os containers virtualizam o Sistema Operacional.

Funções do Kubernetes

E o que o Kubernetes tem a ver com tudo isso?

Os containers são uma solução cada vez mais adotada por organizações pois são extremamente práticos e ágeis, isso cria uma tendência simples: uma vez que você utiliza containers, eles se multiplicam em uma velocidade assombrosa!

E aí que o Kubernetes entra.

Pra você começar com uma base, o Kubernetes faz a automação de gerenciamento de containers.

Funcionamento do Kubernetes:

À primeira vista, o Kubernetes não é muito amigável para marinheiros de primeira viagem.

Ele possui uma estrutura complexa já que existem vários componentes responsáveis por seu funcionamento.

O que são Pods e Clusters?

No seu núcleo, ocorre o gerenciamento da posição dos pods em um nó de cluster.

São muitos nomes técnicos de uma vez, então vamos explicar superficialmente para você:

O cluster é a combinação de vários computadores para que eles trabalhem juntos, nele contém os Masters e os nós Workers.

E os pods representam um conjunto de containers em execução no cluster. Ele cria uma camada extra  de abstração permitindo solucionar parte dos problemas relacionados a sua proliferação.

Master é a máquina que controla os nós do Kubernetes. É nela onde se originam as tarefas do cluster. Seus componentes rodam assim:

No próximo artigo falaremos sobre grandes empresas têm trabalhado com o  Kubernetes  em operações robustas.

Acompanhe a Kumulus nas redes sociais: